Apenas três vereadores assinam o pedido de abertura de CPI do HMA: Aparecido, Fabio Alceu e Tatiana


Nesta terça-feira (06), durante a primeira sessão plenária depois do recesso parlamentar, os vereadores repercutiram a abertura da CPI do Hospital Municipal de Araucária. O requerimento assinado apenas pelos vereadores Aparecido Ramos, Tatiana Assuiti e Fabio Alceu. Com quatro assinaturas o CPI já seria aberta automaticamente.

O primeiro a falar foi o vereador Aparecido. Ele disse que todos os vereadores foram convidados à assinar e que tinham conhecimento do assunto, mas infelizmente, além dos três, ninguém havia assinado ainda. Ressaltou ainda que o objetivo da CPI é investigar as seis prestações de contas reprovadas pela comissão fiscalizadora bem como as denúncias feitas da falta de medicamentos e insumos como luvas para os médicos.

A vereadora Tatiana convidou para que todos os vereadores presentes se manifestassem se apoiariam ou seriam contrários a CPI e que pudessem justificar, mas a presidente Amanda Nassar disse que não era o momento.


O vereador Alexandre Jacinto (Xandão) apareceu apenas no início da sessão e ficou na antessala esperando o término, fazendo inclusive que o vereador Aparecido questionasse sua ausência e posicionamento, já que se dizia oposição ao prefeito Hissam, mas ainda não tinha assinado o documento.


Ao final da sessão apenas a vereadora Lucia de Lima se manifestou dizendo que já existem denúncias no ministério público e que a verdade apareceria. Já o vereador Elias argumentou que tem 200 funcionários em sua empresa e que nenhum até hoje reclamou da saúde de Araucária. Os demais não se manifestaram.

A proposta da CPI é para investigar as possíveis irregularidades que vinham sendo cometidas pelo Instituto Vida e Saúde (INVISA) que administrava o HMA até a última quarta-feira (31/07), quando pediu para encerrar o contrato por não conseguir cumprí-lo.

*Da redação

0/Deixe seu comentário/Comentários

Seja bem vindo! Deixe seu comentário:

Postagem Anterior Próxima Postagem