Teatro da Praça traz espetáculos gratuitos para este fim de semana

(Divulgação)
Pra quem curte programa cultural, começa neste final de semana a programação do Palco Giratório, que circula por todo o país com apresentações culturais gratuitas. Numa parceria da Prefeitura com o SESC, Araucária receberá oito espetáculos.

Na sexta-feira (31), às 20h, tem “Proibido elefantes”. O espetáculo é de dança e será apresentado pela Companhia Gira Dança do Rio Grande do Norte (RN). No domingo (02), às 19h, o Núcleo Afrobrasileiro de Teatro de Alagoinhas (BA) encena “EXU, a boca do universo”.

Os espetáculos são gratuitos e acontecem no Teatro da Praça (Rua São Vicente de Paulo, nº 1091 – Praça do Seminário). Mais informações pelo telefone: 3901-5213.

Proibido elefantes (DANÇA)

“Proibido elefantes” é um espetáculo que fala do olhar como via de acesso, porta de entrada e saída de significados. O modo como percebemos a “realidade” é resultante do diálogo que estabelecemos com esta: nosso olhar é constituído pela realidade assim como a realidade é constituída pelo nosso olhar – a construção do sentido transita em via de mão dupla. O olhar enquanto apreensão subjetiva do mundo é, neste trabalho, apontado como elemento potencializador do sujeito diante do mesmo. Proibir elefantes é restringir o acesso, impedir o livre trânsito do animal que serve como meio de transporte na Índia, mas que causaria enormes transtornos em outras localidades. Proibir elefantes, neste espetáculo, é proibir o olhar que ressalta as limitações, os impedimentos; que duvida da capacidade do sujeito frente à adversidade. Proibir elefantes, aqui, é apostar no olhar do sujeito sobre si e sobre o mundo em que vive como elemento ressignificador e instaurador de realidade.

Classificação: 14 anos

Duração: 55 minutos

EXU, a boca do universo (DRAMA CÔMICO)

“EXU, a boca do universo” é um espetáculo de celebração à vida. O espetáculo narra sem compromisso cronológico momentos em que Exu se mostra diferente daquilo que tanto se pregou na cultura ocidental sobre o orixá que rege a comunicação e a liberdade no candomblé. Optando por uma dramaturgia músico-poética, pela encenação onde atores que se personificam sobre as diversas concepções do orixá Exu, o humano e o divino se entrelaçam na celebração à condição de estar vivo. Exu em suas várias facetas se mostra no espetáculo como alguém que valoriza o movimento da vida, do falar ao agir, do pensar ao sentir.

Classificação: 18 anos

Duração: 70 minutos

SMCT

0/Deixe seu comentário/Comentários

Seja bem vindo! Deixe seu comentário:

Postagem Anterior Próxima Postagem